top of page
  • Foto do escritorRádio Notícias

TARCÍSIO, DO REPUBLICANOS, É ELEITO GOVERNADOR DE SÃO PAULO.


O ex-ministro da Infraestrutura do governo Bolsonaro, Tarcísio de Freitas (Republicanos), natural do Rio de Janeiro, foi eleito neste domingo (30) novo governador de São Paulo com 55,27% dos votos, ou 13.480.643 votos. O resultado foi confirmado às 19h22, com 93% das urnas apuradas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Seu adversário, Fernando Haddad (PT), teve 44,73% dos votos (10.909.371 votos). Votos nulos foram 6,8% e brancos, 4%. O índice de abstenção foi de 21%. O estado de São Paulo, que é governado pelo PSDB há 28 anos, perdeu um representante do partido no primeiro turno, com a derrota do governador Rodrigo Garcia, que apoiou Tarcísio no segundo turno. Em seu pronunciamento após a vitória, Tarcísio afirmou que agora o momento é para "olhar para os interesses de São Paulo". Ele também disse que será "fundamental" haver um alinhamento com o governo federal. "A partir de agora vamos olhar pra frente, olhar para os interesses do estado de São Paulo. Sou muito grato aos votos que conquistei e agora vamos fazer um governo para 46 milhões de paulistas. Vamos olhar sempre o interesse do estado de São Paulo. Para que a gente possa fazer política pública para o estado de São Paulo, vai ser fundamental o alinhamento e o entendimento com o governo federal."

No início da campanha, em agosto, Haddad liderou a disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, mas viu sua distância diminuir a partir de setembro, quando Tarcísio e Garcia, que tentava a reeleição, começaram a se aproximar. As pesquisas apontaram Haddad liderando o primeiro turno em cima de Tarcísio, mas ele acabou em segundo. No primeiro turno, que ocorreu em 2 de outubro, Tarcísio obteve 9.881.995 (42,32%) dos votos e Haddad, 8.337.139 (35,70%). Haddad se manteve atrás de Tarcísio nas intenções de voto durante todo o segundo turno. Na reta final, entretanto, o Ipec passou a indicar empate técnico entre os dois. Na apuração, Tarcísio ampliou a margem e ficou quase sempre dez pontos percentuais à frente do petista. Logo após a definição da derrota, Haddad publicou em sua conta do Instagram um agradecimento:


"Obrigado, São Paulo". O petista afirmou, em seu pronunciamento, que ligou para Tarcísio para parabenizá-lo e se colocou à disposição para o que for preciso. "Eu acredito na democracia, é reconhecimento do resultado, desejo muita sorte [ao Tarcísio] porque muita gente depende da decisão dele", disse Haddad.

Durante a campanha, o governador eleito afirmou que deve haver "liberdade de escolha dos pais" em relação à vacinação de crianças. Sobre educação, Tarcísio disse que pretende manter o repasse orçamentário para as universidades públicas de São Paulo no mesmo patamar de antes da limitação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), adotada pelo governo do seu padrinho político Jair Bolsonaro (PL), sobre itens como diesel, gasolina, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo.

O ICMS é um imposto estadual, compõe o preço da maioria dos produtos vendidos no país e é responsável pela maior parte dos tributos arrecadados pelas unidades federativas. Uma proposta encampada por Tarcísio no primeiro turno, de retirar câmeras dos uniformes dos policiais militares do estado, foi alterada no decorrer da campanha. Em outubro, ele afirmou que vai “chamar as forças de segurança para avaliar, do ponto de vista técnico, a efetividade ou não” do uso do equipamento. Também na área da segurança, o governador eleito afirmou que irá liderar uma discussão nacional em torno da redução da maioria penal, do fim das audiências de custódia e da saída temporária de presos. Tarcísio também foi muito criticado ao longo da campanha pelos seus adversários por ser natural do Rio de Janeiro e ter morado pouco tempo no estado.

Fonte: G1 SP

8 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page